NOIVO


Os corpos na rua
fazendo o passado.
As mãos dos senhores
encurralaram os cães,
ladravam a espuma
na praça da cidade.
Ele conduziu os sapatos
até aos portões do palácio
e a cerimónia fez-se
com a manhã gemendo promessas!
Olhou por baixo do ombro
estava o tédio plantado nas costas,
chamou cada um dos nomes
e ficou à espera
da noiva.
O fardo aliviado,
a nudez do propósito,
não mais que um segundo
para abandonar a cama vazia.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s